O Design tem um papel fundamental no sucesso e retorno financeiro de uma empresa. Porém, nem sempre existe a capacidade de assumir o seu real valor através de uma análise visual e estética, facilmente discutíveis do ponto de vista comercial. Posto isto, é fundamental a criação de uma linguagem objectiva e quantitativa, isto é, que permita a criação de uma análise métrica, numérica e com argumentos estratégicos.
Há três passos que permitem quantificar o trabalho de Design:

1. Criar uma árvore de lucros para definir as alavancas de negócio.
A árvore de lucros ilustra como o trabalho do Designer se irá encaixar no panorama empresarial.
Os dois objectivos básicos empresariais (aumento de receita e redução de custos) são divididos em quatro alavancas básicas, que irão permitir prever o impacto que se deseja.

2. Estimar o impacto financeiro.
Para uma análise desta dimensão, será fundamental envolver outros profissionais da empresa, nomeadamente gestores de produto, comerciais, contabilistas e o departamento de vendas.

Em conjunto é possível identificar o estado actual da área comercial e vendas e quais os pontos a incrementar, bem como estimar quantitativamente o impacto do projecto.

3. Comunicar com hipóteses.
O trabalho do Designer passa igualmente por contar histórias. Mais do que suposições, o trabalho criativo deverá conceber hipóteses enquadradas, isto é, criar premissas fundamentadas no histórico da empresa, ou em exemplos de outras empresas de referência.

O uso de hipóteses e números é uma excelente forma para comprovar o valor do Design no seio empresarial, sem menosprezar a sua essência criativa. Vincular o Design às quatro principais alavancas de negócio, elevará a posição do Design no mundo empresarial.


0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *