A maioria das empresas está consciente do perigo das ameaças digitais e ciente que adoptar medidas de cibersegurança é o caminho a seguir. Em 2018 assistimos a vários ataques cibernéticos que obrigaram a um reforço de atenção e prevenção por parte das empresas, e como os ciberataques estão a tornar-se cada vez mais complexos e sofisticados as estratégias de combate precisam ser cada vez mais exigentes.

Quais as medidas a tomar neste novo ano?

Seguros de cibersegurança. Dada a evolução das ameaças, um seguro contra um ciberataque vai passar a ser um investimento quase obrigatório para as empresas. Este tipo de seguros pode incluir cobertura para activos digitais danificados ou perdidos; perdas de oportunidades de negócios; dinheiro roubado; violação de segurança; entre outros.

Novas profissões como CCO e CSO. O Chief Security Officer (CSO) já é uma figura indispensável em algumas empresas, principalmente desde que entrou em vigor o RGPD. Com os ataques cada vez mais frequentes e trágicos as suas responsabilidades vão aumentar. Quanto ao Chief Cybercrime Officer será um perfil muito requisitado, pois é quem vai garantir que a empresa tem uma estratégia de cibersegurança sólida.

Autenticação multifactor em transacções online. Oferecer métodos de autenticação adicionais, para além da simples autenticação por password.

Mais investimentos em tecnologias de cibersegurança. Conscientes do impacto dos ciberataques, as empresas vão investir mais na segurança do seu negócio. Além das tecnologias de encriptação, as tecnologias de machine learning e de inteligência artificial podem vir a ter um papel fundamental na gestão e resolução dos ciberataques.

Categorias: Internet

0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *