Quando usar o switch e a checkbox

By | 13 Janeiro, 2017

Não é fácil descobrir quando usar um ou outro, isto porque são muito semelhantes tanto na forma como na função.

Funções semelhantes, contextos diferentes
Muitos designers pensam que não tem importância quando usas um ou outro, mas acredita que pode causar confusão. Estes controles de interface são destinados a contextos distintos.

Os switches destinam-se a acções instantâneas
Indicam sempre se uma configuração está activa ou inactiva. Quando o user selecciona “on“, espera uma acção instantânea. Tal como acender a luz de casa. Qualquer efeito mais demorado faz-te pensar que algo está errado. O switch nunca deve exigir que os users pressionem um botão para aplicar as configurações.

As checkboxes exigem um click
Uma checkbox não aplica configurações num instante como o switch. Em vez disto, é acompanhada por um botão “enviar”, e entra em vigor após acção do user. Requer um click, permitindo rever as configurações antes destas serem submetidas, ajudando a evitar erros acidentais de activação.
O aspecto visual de uma checkbox é diferente de um switch. Enquanto “on” implica instância, uma marca de selecção só implica selecção. Significa que os users esperam uma mudança mais imediata com os switches do que uma checkbox.

Decidir entre o switch e a checkbox
Ao decidir entre um ou outro, foca-te no contexto e não na função. Pergunta-te se uma configuração deve ter um efeito imediato ou não e se os users precisam verificar suas configurações antes de aplicá-las. Existem diferenças subtis que entram em jogo para um contexto específico. São essas diferenças, esses detalhes que os designers nunca devem ignorar.

blog_check_switch

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedInEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *