Não existe um guia de boas práticas de etapas e técnicas de UX definido, pois existem diversos perfis de designers e equipas, assim como diversos perfis de projetos e clientes, que possuem necessidades, prazos e budgets distintos. No entanto, existem alguns princípios básicos dos quais vamos falar hoje.

UX design

Usabilidade

Todas as pessoas devem conseguir utilizar o produto desenvolvido, sem achar o processo irritante ou frustrante. Deve ter-se em mente que o que está a ser desenvolvido deverá funcionar corretamente e ser fácil de usar.

Auto-explicativo

Sempre que o utilizador acede a uma aplicação ou site deve conseguir perceber rapidamente o que é, ou para que serve. O seu propósito deve ser tão óbvio quanto possível.

Não fazer o utilizador pensar

O utilizador não quer que o site ou aplicação seja um enigma, quer saber imediatamente o que deve fazer. Quanto mais tiver que pensar, maior a probabilidade de procurar outro produto.

Não desperdiçar o tempo do utilizador

Quando procuramos algo na internet, queremos poupar tempo e não desperdiça-lo. Por isso até o tempo que a página leva a ser carregada deve ser altamente considerado.

Botão de retroceder

Desde que o botão de retroceder funcione, os erros não interessam muito na perspetiva do utilizador. Este botão é a feature mais utilizada na internet, portanto, é importante que esteja bem visível, para que o utilizador consiga voltar facilmente ao ponto onde estava inicialmente.

Funcionalidade

Se um produto funciona bem, as pessoas tendem a continuar a sua utilização. Mesmo que exista um produto melhor ou mais funcional, é pouco provável que o procurem, pois estão satisfeitas. O que não quer dizer que eventualmente esse produto não chame a sua atenção, mas se fizermos algo funcional, torna-se indispensável.

Pesquisa

É crucial ter um campo de pesquisa no site ou app desenvolvidos. Existe um elevado grupo de pessoas que são simplesmente dependentes da pesquisa, e se, não tiverem essa opção, irão procurar outro produto.

Botão Home

O botão Home é uma espécie de saída de emergência para o utilizador. Se este realmente se “perder” nas páginas do website, e nem mesmo com o botão de retroceder conseguir voltar ao ponto de partida, necessita de algo que o leve até lá. O botão Home deve ser de perceção óbvia.


0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *